Faróis de xênon

Aqui você encontra informações básicas úteis e dicas valiosas relacionadas com a temática dos faróis de xênon.

Os faróis de xênon iluminam significativamente mais a estrada do que os faróis de halogêneo clássicos. Eles aumentam a segurança em caso de escuridão e estão agora representados em quase todas as classes de veículos. Descubra nessa página qual a estrutura e o funcionamento dos faróis de xênon. Descubra ainda aqui quais as causas para uma falha dos reatores xênon, como detectar rapidamente os erros e qual o perigo de instalar faróis de xênon ilegais.

Aviso de segurança importante As seguintes informações técnicas e dicas práticas foram elaboradas pela HELLA, com o intuito de apoiar as oficinas profissionalmente nos trabalhos do dia a dia. As informações disponibilizadas nesse site somente devem ser usadas por pessoal especializado e devidamente qualificado.

 

MÓDULO BIXÊNON: FUNCIONAMENTO

O farol de xênon é composto pela lâmpada de descarga de gás, pelo reator xênon e pelo sistema de reflexão ou de projeção. Bixênon significa que a luz alta e baixa se realiza a partir de um módulo de projeção. A vantagem aqui é a necessidade de somente um reator. Assim, duas distribuições de luz com elevado fluxo luminoso são realizadas nos menores espaços de instalação.

Funcionamento

Recorrendo a um obturador móvel, é possível alternar mecanicamente entre as distribuições de luz, para luz alta e luz baixa. Isso significa que, para além do mecanismo de regulação do obturador, não é necessário qualquer custo adicional para um farol separado com sistema eletrônico de controle próprio. Além disso, o alcance da luz alta é superior e as bordas da estrada são melhor iluminadas.

REATORES XÊNON: FUNCIONAMENTO

O reator eletrônico (E) provoca a ignição da mistura de gás nobre na lâmpada com um pulso de alta tensão de até 30 kV (4.ª geração). Isso resulta em uma faísca entre os elétrodos da lâmpada. O reator eletrônico controla a partida da lâmpada, para que a lâmpada atinja rapidamente a fase de operação, regulando, em seguida, a potência da lâmpada para um valor constante de 35 W.

 

Um conversor de corrente contínua gera, a partir da rede de bordo do veículo, as tensões necessárias para o sistema eletrônico e a lâmpada. A ligação em ponte fornece uma tensão alternada de 300 Hz para operar as lâmpadas de xênon. No aparelho estão integrados vários circuitos de controle e de segurança.

 

No aparelho estão integrados vários circuitos de controle e de segurança.

 

É efetuada uma desativação do sistema em 0,2 segundos, nas seguintes situações

  • Lâmpada com defeito ou em falta
  • Chicote de fios ou peça da lâmpada com danos
  • Corrente diferencial (corrente de falha) acima dos 30 mA, com o aumento da corrente diferencial se reduz o tempo de desativação

 

Para a proteção do sistema eletrônico do reator, um circuito de contagem assegura que, em caso de lâmpada com defeito, somente sejam realizadas sete tentativas de partida. Depois disso, o sistema se desliga.

 

Se o conector do cabo for retirado durante a operação, os conectores de tensão ficam praticamente sem tensão após < 0,5 segundos (< 34 V), de modo a não existir qualquer perigo iminente devido a um choque elétrico em caso de desrespeito do aviso de advertência.

Características e diferenças da 3.ª / 4.ª geração face à 5.ª / 6.ª geração

Características 3.ª geração 4.ª geração 5.ª geração 6.ª geração
(Xenius)
Lâmpada D2 D2 D1 D1 / D3
Ignição interna X      
Ignição externa   X    
Versão filtrada e blindada   X    
Sistema totalmente blindado     X X
Disponível cabo mais comprido   X    
Fiabilidade de ignição melhorada   X    
Carcaça soldada a laser     X X
Todas as funções AFS integradas     X  
Comunicação LIN       X

 

Módulo de ignição

  • As diversas versões cumprem, entre outros, os diferentes valores limite no que diz respeito à compatibilidade eletromagnética.
  • As principais diferenças entre a 3ª e a 4ª geração xênon são um aparelho de ignição, com ou sem blindagem metálica, e o grupo de cabos entre o reator e o aparelho de ignição, que existe na versão com ou sem blindagem.

REATOR XÊNON COM DEFEITO: CAUSA DA FALHA

Uma reator com defeito tem como consequência a falha total do farol.

 

As causas de uma falha do reator são:

  • Alimentação de tensão em falta
  • Conexão de massa em falta
  • Sistema eletrônico do aparelho com defeito
  • Curto-circuitos internos

CONTROLAR O REATOR XÊNON: DETECÇÃO DE ERROS

  • Verificar se o reator executa tentativas de partida para a ignição da lâmpada após a ativação da luz. As tentativas de ignição podem ser perfeitamente escutadas junto do farol. Em caso de tentativas de partida falhadas, verificar a lâmpada de xênon ao substituí-la pela lâmpada do outro farol.
  • Se não forem efetuadas quaisquer tentativas de partida, verificar o fusível.
  • Se o fusível estiver funcional, controlar a alimentação de tensão e de massa diretamente no reator. A tensão tem que ser, no mínimo, de 9 V.
  • Se a alimentação da tensão e da massa, bem como a lâmpada de xênon estiverem em ordem, a causa da falha é um reator com defeito.

INSTALAR POSTERIORMENTE UM FAROL DE XÊNON — CONVERSÃO ILEGAL: AVISO

Os faróis de xênon têm um aspeto muito elegante e conferem ao veículo atributos de luxo. Isso faz com que muitos motoristas atualizem seus veículos com luz xênon. Compra-se um jogo com cabos, uma fonte de luz xênon e um reator, remove-se a lâmpada de halogêneo do farol, faz-se um furo na capa antiofuscamento, insere-se a lâmpada de xênon no refletor, liga-se o reator eletrônico à rede de bordo e está pronto o farol de xênon. Mas cuidado! Esse procedimento coloca em perigo outros usuários da estrada devido a um ofuscamento extremo e é ilegal: a homologação do veículo é anulada e a cobertura do seguro é restringida. Somente são considerados legais jogos de faróis de xênon completos, submetidos a ensaios de tipo, incluindo a regulagem automática do alcance dos faróis e sistema de limpeza dos faróis.

INSTALAR POSTERIORMENTE UM FAROL DE XÊNON — PRINCÍPIOS BÁSICOS LEGAIS: INFORMAÇÕES ÚTEIS

Na Europa, somente podem ser instalados posteriormente sistemas de faróis de xênon completos. Eles são compostos por um conjunto de faróis submetidos a um ensaio de tipo (com a identificação E1 no vidro de remate), uma regulagem do alcance dos faróis automática e um sistema de limpeza dos faróis (especificação segundo o regulamento ECE R48 ou cumprimento das normas nacionais).

 

Cada farol recebe sua homologação juntamente com a fonte de luz (halogêneo ou xênon), com a qual ela será operada. Se a fonte de luz for substituída por uma fonte de luz que não seja homologada nem se destine a ser homologada pelo farol, essa homologação e, consequentemente, também a do veículo perde sua validade (§ 19, parágrafo 2, alínea 2, n.º 1 do StVZO — código da estrada alemão). A condução sem a homologação conduz a restrições da cobertura do seguro (§ 5, parágrafo 1, alínea 3 do KfzPflVV, regulamento relativo aos seguros obrigatórios de veículos). Além disso, qualquer pessoa que venda esse tipo de equipamento de iluminação não homologado também está exposta a pedidos de indenização por parte do comprador. Pois, ao transferir essas partes, o vendedor não só garante que elas podem ser usadas para o fim previsto, como também se responsabiliza, sem restrições, pelo risco de danos.

FUNDAMENTOS TÉCNICOS
  • Elevados valores de ofuscamento: através de medições no laboratório de luz foi verificado que a distribuição da luz ativa de um farol, concebida para lâmpadas de halogêneo e que agora funciona ilegalmente com uma fonte de luz de xênon, não corresponde de modo algum aos valores inicialmente calculados.
  • Nos sistemas de reflexão foram medidos valores de luz de ofuscamento que ultrapassam os valores limite admissíveis até 100 vezes.
  • Os faróis desses veículos não têm limite claro/escuro e deixam de ser reguláveis. Os valores de luz de ofuscamento correspondem aos dos faróis de luz alta. Essa situação resulta em um enorme perigo para os demais usuários da estrada.
Até que ponto este artigo é útil para si?

Não ajuda em nada

Muito útil

Diga-nos do que não gostou.
Obrigado! Mas antes de sair!

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo gratuito do HELLA TECH WORLD e mantenha-se atualizado com os vídeos técnicos mais recentes, conselhos sobre reparos de automóveis, treinamentos, campanhas de marketing e dicas de diagnóstico.

Mostrar informações adicionais em nosso boletim informativo Ocultar informações adicionais em nosso boletim informativo

Inscreva-se para receber nosso boletim informativo gratuito do HELLA TECH WORLD e mantenha-se atualizado com os vídeos técnicos mais recentes, conselhos sobre reparos de automóveis, treinamentos, campanhas de marketing e dicas de diagnóstico.

Juntos, podemos colocar os carros de volta na estrada rapidamente!

Importante:
ocê só será inscrito na newsletter após clicar no link de confirmação no e-mail de notificação que receberá em breve!

Proteção de dados | Cancelar inscrição

Importante:
Você só será inscrito na newsletter após clicar no link de confirmação no e-mail de notificação que receberá em breve!

Data protection | Cancelar inscrição

Quase lá!

Tudo o que você precisa fazer é confirmar sua inscrição!
Enviamos um e-mail para your email address.

Verifique sua caixa de entrada e clique no link de confirmação para começar a receber atualizações do HELLA TECH WORLD

E-mail errado ou nenhuma confirmação recebida?
Clique aqui para entrar novamente.